BSC

Kaká, Real Madrid, o “Dízimo” e Juca Kfouri

kakaUpdate (01/07/09): Agora sim uma imagem “real” do craque com a camisa do time de Madri.

Kaká foi transferído do Milan para o Real Madrid pela “bagatela” de 65 milhões de Euros. Dinheiro mais que suficiente pra tirar o clube italiano do buraco de dívidas que se encontra.

Este foi o motivo alegado pelo jogador para sua saída. E é mais que óbvio que além disso pesou o fato de ser a segunda proposta que o Milan aceitou discutir com o jogador, prova de que ele não era tão mais importante (mesmo com títulos e gols) que o “cascalho” que entraria nos cofres.

Após o anúncio, diversos sites e portais copiadores de notícia veicularam a informação e os pseudo especialistas lançaram-se aos comentários.

Muito estranha foi a coluna de Juka Kfouri em seu blog em que o jornalista toca no fato de que Kaká assumidamente paga o dízimo para sua igreja. 10%.


Não sou religioso, nem nunca iria doar 10% de meu salário para uma igreja ou instituição de caridade qualquer – isso simplesmente pelo fato de que acredito que o dinheiro, mesmo que com boa intenção, seja mal usado.

Mesmo assim acho estranha a posição de alguns jornalistas, e agora coloco Juca no bolo, ao bater em determinadas instituições e esquecer que, mais que o dízimo de 10% pago pelo jogador, são os 27,5% de imposto de renda que pagamos(normalmente cascateados) obrigatóriamente ao governo, que não provê os serviços básicos para a população.

Principalmente agora que o futebol foi ligado à crise, é hora de pensarmos como o governo aplica nosso dinheiro. Pelo bem, pelo mal, o dízimo para a Igreja é optativo (se você não é religioso, não paga), cobrado em apenas 10% e a igreja não tem obrigação nenhuma de te prover nada.

Muito diferente é o nosso imposto, que deveria servir para distribuir renda, que é obrigatório, taxando 27,5% dos seus rendimentos e mal utilizado.

Acho que os jornalistas, de profissão – ou melhor, formados – que têm um veículo tão incrível em suas mãos, deveriam se preocupar menos com a fé das pessoas e aproveitar cada oportunidade para mostrar o que está errado.

Sou brasileiro e pago dízimo à Receita todo mês – já descontado em folha!

Quanto ao Kaká, torço para ele se dar bem no Real e um dia voltar ao São Paulo! Talvez até, neste dia, ele se preocupe com o dízimo, quer dizer, imposto…

*BTW, a foto publicada é um “fake”, claro.

Scroll to top