Sabe quando você está tranquilo em sua casa, vendo a Turma do Didi ou Vale a Pena Ver de Novo, e surge aquela vinhetinha assustadora do Plantão da Globo. Sua espinha arrepia, você para o que estiver fazendo, derruba a criança no chão, olha para a TV e pronto: Maju é a jornalista do recado… “Caramba, o bicho pegou!” você pensa. Se Maria Júlia Coutinho era a melhor jornalista que tinha na hora é porque a catástrofe é exclusivíssima.
Ou então o Papa morreu, e um William Bonner barbado, por Skype, anuncia de sua sala de estar a notícia em rede nacional, ele que derrubou o bebê… Essa notícia é “boa” demais, essa é do chefe! Parem as maquinas! Ele faz questão de dar.
Não importa o quão aguardadas sejam certas notícias, não importa quão óbvias e iminentes sejam certas manchetes, na hora que elas ocorrem você pensa: “Não acredito!”
As maiores notícias que o Brasil passou nos últimos 30 anos. A morte do Senna, avião dos Mamonas, 11/09, sequestro do Sílvio Santos, a morte de bin Laden, Trump eleito, o impasse das Coreias, as quedas de Eduardo Campos e de Teori Zavascki, e ainda, Lula preso, o amanhã que nunca chega está no ontem… São apenas algumas das bombas abordadas no programa.
E mais: Você é @ ú[email protected] a saber?! Saiba se seu cônjuge está lhe traindo, com as dicas erradas da pequena espionagem do BSC! A decisão é sua…

Tudo começou quando o Império Romano do Ocidente caiu, e a história nos leva para os mil anos seguintes que contemplam a Idade Média. Feudalismo, Cristianismo, Europa, a Época Medieval, castelos e plebeus.
Parecia coisa demais para um programa, então focamos no divertido: orgias, pestes, formas dolorosas de morrer, pessoas banguelas, medicina aleatória, medo de tudo.
Era fácil ser gay na Idade Média? Não havia a “ditadura gayzista da Rede Globo”, mas já na época todo buraco eram toca. TOCA! Fofocas do Vaticano, o que o Papa fazia! E ainda, como se matavam as pessoas que faziam as coisas que o Papa fazia.
A prostituição era o que valia a pena, forma de vida rentável, com um infeliz pequeno risco de se pegar peste negra na virilha. As visões de haréns de Heitor Okimura, um menino desorientado e confuso.
O que seriam das tecnologias humanas sem a guerra?! Antes dos tiros, das granadas e das bombas, tinha que ser macho para atacar o adversário de boa, muito mais brutal do que machine guns era o óleo fervente na cara.
Prepare-se, ouça-nos que seu ENEM será rico! O resumo do que importa para além dos livros de história.

Objeto de descaso, mal tratado, pouco valorizado, um traste maltrapilho da sociedade brasileira. Deus salve as profeÇorinhas!
Qual o grande problema do Brasil?! Pega um grande papel em rolo e faça a sua lista, mas sem dúvida passa pela educação. As escolas são feitas para darem certo? E as políticas públicas? A escola é um exemplo ruim para os presentes tanto quanto as prisões?!
Este episódio irá tratar dos professores e professoras do ciclo básico escolar. Pré-primário, Fundamental I e Fundamental II. As dificuldades, a luta, e a paixão de profissionais que se esvai.
Grandes memórias, lembranças e informações relevantes. Todos nós já fomos crianças, todos nós já tacamos o terror, todos nós já destruímos profissionais de ensino. Mas e a culpa, é de quem?!
Por lei qual a obrigatoriedade escolar para todas as crianças?! O nono ano do ensino fundamental, por que e para quê?! O que é fundamental no ensino, e a idade correta da alfabetização?! O nosso Mestre educador Octávio Rogens sabe tudo.
Um episódio focado no mal remunerado corpo docente. Seja em escolas públicas ou particulares, a vida de professor não é fácil, parece que TODOS estão contra eles, TODOS, inclusive os alunos.
Como é o comportamento de ensino dos professores em seus diferentes ciclos? E nas disciplinas como Educação Física, Educação Artística e Matemática. É a falta de infraestrutura das escolas públicas ou a chibata curta a serviço do capital das escolas particulares.
São muitos tipos de professores. A professora boazinha, a velha autoritária, o vingativo frustrado, passamos por todos. A mítica escola dos anos 90, a Era em que se inicia o fim de um bem sucedido modelo educacional. Os meninos do BSC viveram uma época em qua não havia leis, professores tragavam charutos e destruíam sonhos. Parece uma série de TV no Bronx.
Se os membros do BSC eram tão inteligentes por que não eram bons alunos?! Di Cardoso chegou a ser expulso por envenenamento, Raoni Nicolai, sem limites, respondia como se fosse uma gravação de podcast. Bem vindo ao Zoológico humano!

É melhor prevenir do que remediar. Mas quem vai no médico? Quem come bem? Quem faz exercícios físicos?
Como pessoas de saúde debilitada os membros do BSC têm experiência. Octávio Rogens é doente, vai no médico a cada 15 dias e começou a fazer o exame do toque aos 13 anos, com razões preventivas. Marcão segue na linha tênue da vida, mas sua vida sempre segue por um fio enxugando gelo, nada é preventivo com Marcos Paulo Nascimento. Já Norminha gosta de estudos e estatísticas, dados cardíacos são mais importante do que o seu consumo em calorias e ele acompanha de perto os adventos tecnológicos da saúde, não perde um ultrassom ou máquina de tomografia nova, ele é a tia do plano de saúde premium.
A visita ao médico. Como eles tratam os pestilentos civis. A indiferença versus o excesso de atenção. Como confiar que seu médico não é um abusador Doutor  Abdelmassih?
E por que homens não se cuidam? Por que homens não vão ao médico? Desafios para uma saúde do futuro para marmajos medrosos.
E mais: um dia se masturbando no copinho. As experiências de um exame espermograma na salinha em que todos fazem, fizeram, e farão espermograma, qual é o limite da dignidade no cumprimento de seu dever?
Mais uma participação de Juliano Gaspar, humorista barriga-verde, deixando aquele programa pesado em alto nível. É muita parte baixa, é muita escatologia, é muita geleca e partes mole, graças a deus…
E Heitor Okimura se supera ainda mais nas piadas. Mas adianta Heitor?! O povo pede aposentadoria.

Não importa quem você seja… Uma socialite de carteira cheia ou mesmo um bruto homem porco, dono de funilaria, com posters da Cláudia Ohana nas paredes e as calças cheias de óleo. Um dia você vai ter que decorar.
Você sabe que aquela pocilga se encherá de graxa tão rápido quanto possível, mas você vai ter que escolher as louças do banheiro, você vai ter que combinar com os azulejos, vai colocar assim, qualquer cor? E o rejunte?! O mais barato? E o piso? Vai colocar o azulejo no chão mesmo, ou melhor, o piso na parede?! Aquele maravilhoso estilo “banheiro de posto de conveniência”. Industrial, credo!
Você vai ter que comprar uns móveis, eles vão durar, melhor pensar… Umas cadeiras, algo pra empilhar, quem sabe uma bacia bem grande onde seus 5 cães Fila irão comer. Mas de que cor?! A mais barata de novo?! Nada está cabendo no seu apertamento de 40m², vai ter que dispor esse móveis ali pra caber tudo. Sim, você está decorando. Você é um designer de interiores!
E na era atual existem muitas opções de qualquer coisa. Qualquer tipo de cor, em qualquer tipo de textura, em qualquer material. Até os gabinetes de PC têm LEDs e frufrus, para quê?! Só porque têm rodinhas se acha o Fast and Furious, aquele i5 meia boca ostensivo…
Decorações de Motéis: um desafio etimológico ao bom senso. Obras de artes com materiais inapropriados e anti higiênicos. O BSC termina sempre no Motel… Saiba o que Marcão Nascimento faz nas quatro paredes de um quarto e pasmem com quem… E ainda: Os defeitos da mansão erguida de Norminha. Os adventos tecnológicos fazem os banheiros progredirem ou regredirem, afinal? Um debate sobre os exaustores levando os maus ventos, versos, a importância das janelas.
Programa para você que folheia a Casa e Construção no banheiro das visitas, pensando: podia ter umas piadas do Chico Bento aqui. E ainda: Heitor Okimura é odiado pelos ouvintes! A pedra que nos segura, enfim a justiça será feita.

Esse episódio é ostentação. A prova cabal que o BSC fala de QUALQUER COISA! E que baita propriedade…
De um lado Thiago Zap, formado recreador, habitué das piscinas de Porto Seguro; do outro, Octávio Rogens, mestre em brasilidades, marchinhas e histórias chatas, e no meio ainda, todo mundo, mais (PLUS) Alysson Lima. Ele rebola que nem o Jacaré e por isso está aqui. Baita currículo.
Alysson Lima, hoje humorista standuper e Mc das Noites Paulistanas foi outrora membro da “Rapaziada” do grupo Adryana e a Rapaziada… Sim, aqueles caras que pareciam que iam estuprar a moça loira ao som melódico de belos vocais. Passamos por sua carreira de backstages de Domingo Legal enquanto desbravamos o mundo da música, o Axé Bahia, esse estilo musical cheio de flashbacks. Estamos baixo, estamos fundo.
Eles sabem todas as músicas! As variantes, os subgêneros, quem é quem, veio da onde, saiu porquê? E mais: Pessoas Sucesso, Casais Maravilhosos, Carla Perez e Xanddynho. Como a Loira Burra chegou onde nenhuma dançarina jamais chegou?! Saiba porquê o Axé esta seguindo a moda dos pagodeiros 90. E ainda: uma dança coringa para bailar qualquer coisa baiana, pode ser a Corda do Caranguejo, o Carlinhos Brown e a maldita da água mineral, Rebolation ou até Daniela Mercury. Forçamos, é claro.

Scroll to top