Assistindo Canais Russos

*Por Necésio Pereira

Quem já teve um enteado obstinado em desmanchar o namoro da mãe sabe bem o que é ter um inimigo. Já faz meses que não vejo a Ivone e Miguel – seu amado e nerd filho – ainda se vinga de mim, é um passatempo para o garoto. O meu  inimigozinho deixou de presente pra mim, além das dividas que fez com meu cartão de credito, uma variedade absurda de canais russos na minha TV a cabo.

Quem já teve um enteado obstinado em desmanchar o namoro da mãe sabe bem o que é ter um inimigo

Hoje à noite, quando cheguei em casa fui assistir televisão, e como não entendo nada de russo cada programa que eu assistia era um meio da minha mente divagar recapitulando meu dia. Ligo a televisão:

Canaltv 1000: Um cara fazendo uma reza xintoista em russo – bizarro!

r2

Lembrei que de manhã acordei com minha vizinha portuguesa, uma senhora de trocentos anos recém convertida para uma seita japonesa  apocalíptica entoando um tipo de mantra que mais parecia um grito de socorro de um vietnamita diante de um americano fortemente armado .

Troco de canal…

Canal Moscou TV Center:  Uma mulher com voz de cigarro dando uma bronca no mundo, com certeza é uma sapatão.

r3

 

Recordo que entrei no carro e coloquei aquele CD de meditação que ganhei  de uma amiga que recentemente descobriu-se lesbica, que agora resolveu que eu sou um gay irrustido, o que é algo bem humilhante partindo de uma mulher que transava comigo toda vez que ficava bêbada.

No percurso para o trabalho trânsito lento, no ritmo de um cortejo funerário – sorte que o tal CD de meditação era algo agradável… coisa do tipo “sorria você é vencedor”) por causa dele cheguei no escritório sorridente e confiável – dez minutos depois a tensão desfez o sorriso e a auto-confiança. Meu chefe resolveu  trazer seu sócio gringo pra conhecer o escritório e sabe-se lá porque pediu pra mim com meu inglês de cursinho barato de subúrbio explicar a enfadonha  engenharia conceitual  da nossa amada e idolatrada empresa.  Assistido por todos os colegas, vizinhos de baias e a nova-estagiaria-linda-mas-nada-sexy de pele marmórea e cabelos negros com visualzinho retrô que se vestia como uma amiga de  juventude da minha avó, percebi que ela  não perdia oportunidade de  fazer perguntas prolíficas me esnobando com seu inglês recém vindo de uma temporada em Londres.

Uma amiga minha resolveu que eu sou um gay irrustido, o que é algo bem humilhante partindo de uma mulher que transava comigo toda vez que ficava bêbada.

Hora do cafezinho e a Amanda do marketing veio puxar papo…estranhei , ela era o sonho de consumo de todo o pessoal do terceiro andar, mas tal qual a protegida do dono do morro, ninguém se aproximava dela com medo de acordar no outro dia com a boca cheia de recisão de contrato…ninguém duvidava que Amanda tinha um caso com o Patrão.

Ninguém se aproximava dela com medo de acordar no outro dia com a boca cheia de recisão de contrato

Fiz até um bafinho na palma da mão quando ela não estava me vendo, pra conferir o hálito, pensei “quem sabe talvez, ela dá uma brecha, enfrento o bom senso e chamo pra um japonês no final do dia.

Amanda perguntou:

– Então,você é amigo da Livia?

Fudeu! Livia é a amiga lesbica que cisma que sou veado!

Respondi sem graça: sou.

Ela: Legal ! A gente ta saindo.

Fudeu2- A Livia tá pegando a Amanda, o chefe não tá pegando ninguém e eu vou ser tratado pelo pessoal do escritório de forma exageradamente respeitosa, por que a galera vai querer provar que não é  homofóbica.

Lembrei dessa parte do dia porque troquei de canal –

Canal 5 RTB: Matéria sobre uma passeata gay e um fuzuê com a igreja ortodoxa.

pastedGraphic_3.pdf

A Pausa do Café acabou…continuei paparicando o gringo até a hora de sair, fiquei na portaria conversando com a Amanda dizendo que não conhecia nenhuma música da Lady Gaga, que não, nunca tinha ido até a Frei Caneca e que  sim, eu sabia que a filha da Gretchen estava trabalhando na novela da globo…

O Manobrista trouxe meu carro, entrei e liguei pra Livia, pus no viva voz e fui conversando com ela até chegar em casa, ela me prometeu contar pra Amanda que nós já tínhamos saídos e que eu sou muito macho, mantive a calma apesar das gargalhadas de Livia com seu senso de humor elegante como o de um  caminhoneiro.

Senso de humor elegante como o de um  caminhoneiro

Cheguei em casa, tirei os sapatos, soltei sonoros peidos ( não eram gazes apenas, eram afirmações de minha virilidade). Sentei no horroroso sofá de 800 dólares que a Ivone  me fez comprar  e fui zapear o  canais de televisão que meu  ex enteado e eterno obsessor  me presenteou …amanhã vou ver onde arranjo um professor que me dê aulas particulares de russo.

Scroll to top